Dia-a-dia

Síndrome do impostor: Quando achamos que não somos capazes…

sindrome-do-impostorNão sei se alguma vez sentiram que não eram capazes de responder a um determinado desafio… Sentimos quase como se fossemos uma fraude e isso tem um nome. Síndrome do impostor. Nunca tinha ouvido falar em tal síndrome até começar as minhas lamentações e a minha orientadora de doutoramento me ter dito: “Estás a viver o síndrome do impostor. É perfeitamente normal sentires-te assim…”. Isto não acontece apenas a quem está a estudar… O síndrome do impostor é vivido por pessoas das mais diversas áreas. Por exemplo, li num artigo da MAGG sobre este síndrome que a Emma Watson, a famosa Hermione de Harry Potter, já se sentiu assim. Aquele sabor agridoce de que, a qualquer momento, alguém se irá aperceber de que não somos capazes e de que temos andado a enganar o mundo inteiro sobre as nossas competências…

Ao que parece, este é um estado que afecta mais homens do que mulheres. E, sinceramente, não fico surpreendida… Não digo que os homens sejam menos exigentes com eles do que nós somos… Mas acho que, consciente ou inconscientemente, acabamos por colocar em cima de nós muito mais pressão para nada falhar do que os homens fazem sobre si próprios. Partilho convosco esta frase de Michele Obama. Segundo ela, cada vez mais crianças americanas sentem esta condição.A de que não são capazes. A de que não são suficientes. E Michele ainda nos diz mais: “Eu tive de trabalhar duro para superar aquela pergunta que (ainda) faço a mim mesma: ‘eu sou boa o suficiente?’. É uma pergunta que me persegue por grande parte da minha vida. Estou à altura disso tudo? Estou à altura de ser a primeira-dama dos Estados Unidos?” (podem  ler tudo no artigo da BBC: Síndrome do impostor. O que é como se pode lidar com ele).

Estou a seis meses da data limite de entrega da tese de doutoramento. Cada vez mais sinto que não sou capaz. De que alguma coisa vai estar em falta no momento de entregar a tese. De que algum resultado vai ser facilmente refutado… Sinto cada vez mais dúvidas quanto a todo o trabalho que já desenvolvi. Acho que não está suficientemente bom. Acho que está com uma qualidade inferior ao que tenho habituado as pessoas que me orientam. Acho que não irá ser uma defesa brilhante… Tenho o impostor sentado ao meu lado e ele está a dar cabo da minha motivação… Chego até a ter dias em que não me apetece sequer pegar na tese para escrever… Sinto-me perdida no meio do oceano e com medo de naufragar…

 

O mundo deste lado nem sempre é cor-de-rosa… Tenho os meus dias em que duvido de que seja verdadeiramente capaz de tudo aquilo a que me proponho. Nem todos os dias são fáceis e existem alguns que nos esgotam mais do que outros. Que nos tiram a capacidade de ver aquilo de que somos verdadeiramente capazes… Hoje sinto-me assim…

 

Podem ver um vídeo de Elizabeth Cox sobre o síndrome do impostor e compreender um pouco melhor do que se trata neste link.

 

Sigam a Mom descomplicada no Facebook e no Instagram da Mom descomplicada e no Instagram das Leituras descomplicadas!
 Juntem-se ao grupo do Facebook “Leituras descomplicadas – Livros para miúdos e graúdos”!

One Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *