Pensamentos

Dia da Mulher: vamos usar a nossa maior arma?

Qdia-da-mulher8 de Março de 2019. Dia da Mulher. Hoje assinala-se, por todo o mundo, o nosso dia e muitos são os eventos criados para o comemorar. Existirão mesmo motivos para festejar?! Hoje amanhecemos com mais duas notícias envolvendo a morte de mulheres. Em Leça da Palmeira, foi encontrada a cabeça de uma mulher na praia. Na Lagoa de Albufeira, Sesimbra, uma mulher e a filha de dez anos foram encontradas num carro carbonizado. Desde o início do ano, o número de mulheres vítima de violência doméstica tem vindo a aumentar de forma assustadora. Este Dia da Mulher parece cada vez mais assombrado por uma nuvem cada vez mais negra no qual todos temos a nossa responsabilidade… Sofremos em silêncio. Calamos os casos que conhecemos. Continuamos a educar os nossos filhos na desigualdade entre sexos.

O Dia da Mulher assinala-se desde o início do século XX, nos Estados Unidos, fruto das lutas feministas por melhores condições de trabalho, pelo direito ao voto e igualdade de direitos políticos. O ano de 1975 foi designado, pela ONU, como o Ano Internacional da Mulher e, em 1977, o dia 8 de Março foi adoptado como o Dia Internacional da Mulher por aquela organização. Olhando para o passado, muitas foram as mulheres que lutaram em todo o mundo pelos nossos direitos. E é essa luta que devemos honrar neste dia! Lia hoje um artigo publicado no Observador, por Eduardo de Sousa Campos, intitulado “Não maquilhemos o Dia da Mulher com bombons”. De que vale hoje recebermos um ramo de flores no trabalho se nos outros 364 dias do ano não somos respeitadas e nos desvalorizam como profissionais? De que vale hoje levarem-nos a almoçar fora se nos restantes dias os nossos companheiros nos brindam com “carinhos” que de amor não têm nada? De que vale oferecerem-nos bombons se são essas mesmas mãos que nos poderão vir a tirar a vida…? Afinal, porque será que o nosso Governo teve necessidade de criar o Dia de Luto Nacional pelas Vítimas da Violência Doméstica assinalado ontem? Vale a pena reflectirmos sobre isto…

 

Dia da Mulher: O trabalho começa em casa

Há um ano escrevi, as seguintes palavras num post sobre o Dia da Mulher:

Acho que a grandes contribuição que podemos fazer para a nossa sociedade neste dia é passarmos às nossas crianças o que significa ser mulher e homem nos dias de hoje. Explicar-lhes que nem sempre foi assim e que muitas foram as mulheres que lutaram e que foram pioneiras nos mais diversos campos para que a sociedade ocidental dê mais valor é liberdade às mulheres. 

E, passado um ano, continuo a achar que a educação dos nossos filhos é a melhor arma que temos para mudar as estatísticas, melhorar as oportunidades profissionais e mudar mentalidades quanto ao género na nossa sociedade. Muitas vezes penso que ainda vivemos encerrados entre as paredes do Ramalhete espreitando, pelo buraco da fechadura, o amor incestuoso de Carlos da Maia e Maria Eduarda lançado ao vento por Eça de Queirós…

Defendemos que a promoção da igualdade entre sexos! E continuamos a dizer que o azul é para menino e o rosa para menina… Defendemos que mulheres e homens devem ambicionar ter qualquer profissão! E continuamos a dizer que as bonecas são para as meninas e os carros são para as meninos… Somos totalmente contra a violência doméstica! E continuamos a deixar que os nossos filhos brinquem livremente na rua e as nossas filhas a ter tarefas em casa… E estes são apenas três exemplos da forma educamos as nossas crianças nos dias de hoje sem reflectirmos o efeito que os nossos actos irão ter no futuro…

A nossa maior arma para uma sociedade mais justa e mais igualitária é a educação que estamos a dar aos nossos filhos. Vamos deixar-nos de tretas e achar que colocar um rapaz no ballet o vai tornar efeminado. Vamos deixar-nos de parvoíces e deixar os nossos filhos partilhar connosco as tarefas domésticas em casa como o faríamos se fossem raparigas. Não imaginam a alegria que se vê no rosto de uma pequena criança quando ela se sente útil nos pequenos gestos do dia-a-dia. Para ela, estar junto com os pais no momentos das limpezas ou de cozinhar o jantar pode ser melhor que um brinquedo novo!

Vamos arrumar de uma vez na gaveta a expressão “tu também podes ajudar nas tarefas de casa”. Essa figura não pode existir!! Pede-se ajuda a um amigo mudamos de casa e precisamos de braços extra para os móveis. Mas quando vivemos todos debaixo do mesmo tecto, não se pode falar em ajudar… A família vive junta! É uma equipa que trabalha em conjunto para ter a casa arrumada a pensar nos passeios em família no fim-de-semana. Isto sim é educar as nossas raparigas e rapazes de forma a promover a igualdade. São as pequenas palavras do dia-a-dia que irão moldar a sua personalidade e irão permitir que eles possam contribuir para a mudança da sociedade no futuro.

 

Dia da Mulher: Ontem, hoje e sempre!

Pensem nas mulheres da vossa família e prestem-lhes homenagem todos os dias do ano e não apenas hoje. Pensem nos homens da vossa família e mostrem-lhes o quanto podem construir juntos. Deixem de se reger por um calendário que nos impõem efemérides em catadupa, esquecendo o verdadeiro significado dos dias. Esqueçam os ímpetos consumistas que nos atacam por todos os lados e privilegiem as pessoas e o carinho por elas. Dêem atenção às perguntas das vossas crianças. Estimulem a sua curiosidade na descoberta dos nomes importantes da nossa história sem olhar aos cromossomas X e Y. Importam as acções e não o sexo que aparece documento de identificação.

Se o vosso filho quiser um kit de vassoura e esfregona para brincar, comprem sem receios. Posso dizer-vos que é um dos brinquedos que o meu filho mais gosta, foi ele próprio que escolheu numa ida ao supermercado. E não é que agora usa esse kit para arrumar a sala connosco depois do jantar e tratar das malandras das migalhas que caem para o chão? Pode parecer algo sem importância, um pequeno gesto levado na brincadeira… Quero acreditar que estas pequenas brincadeiras lhe mostram que podem fazer tudo… E não apenas estar sentado no sofá à espera que alguém lhe traga um copo de água…

Se a vossa filha quiser um kit de um carro de corridas, ofereçam-lhe sem pensar duas vezes! E esqueçam as tias-avós que disserem que ela não vai arranjar marido… Preconceitos e estereótipos na educação das nossas crianças, não obrigada! Os brinquedos têm sexo, os vossos filhos sim! O sexo é algo biológico, ditado pela combinação genética no momento da fecundação. Não é roupa nem brinquedos. Ser mulher ou ser homem é mais do que rosa e azul, brincar às casinhas ou aos piratas. Ser mulher e ser homem é ter os mesmos sonhos, os mesmos desejos de realização e a mesma vontade de mudar o mundo. Não cortem as asas dos sonhos dos vossos filhos apenas porque sim…

Deixem-nos voar… Está nas mãos deles a mudança da nossa sociedade e das estatísticas que nos atormentam e que nos fazem ter menos esperança no mundo!

 

Sigam a Mom descomplicada no Facebook e no Instagram da Mom descomplicada e no Instagram das Leituras descomplicadas!
 Juntem-se ao grupo do Facebook “Leituras descomplicadas – Livros para miúdos e graúdos”!
Siga a Mom descomplicada
20

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *