Leituras da mãe

Educar com Mindfulness: congruência e respeito todos os dias da nossa vida!

educar-com-mindfulness

Estas últimas semanas têm sido dedicadas a leitura sobre a parentalidade e depois de ter partilhado convosco a book review sobre o livro “Pais à maneira dinamarquesa”, hoje venho escrever-vos outra book review com inspiração sueca. Quem já ouviu falar de parentalidade consciente? E da Mikaela Ovén? A Mia, como é conhecida pela maioria, é sueca e vive em Portugal desde 2001. Tem formação em recursos humanos mas tem-se dedicado, nos últimos anos, à sua Academia de Parentalidade Consciente, onde ministra formação e a acompanhar pais em fases mais complicadas com os seus filhos.

De tempos a tempos, quando ando à procura de novas leituras, gosto de espreitar as prateleiras das livrarias para ver capas de livros que me despertem o interesse. E foi assim que descobri o “Educar com Mindfulness” da Mia. Podem pensar que foi o mindfulness e me despertou o interesse, esta palavra agora tão em voga. Mas não… Houve qualquer coisa que me puxou para este livro… E a minha intuição estava certa! Ao longo de 271 páginas intensas, a Mia coloca à prova todas as nossas ideias pré-concebidas sobre a parentalidade. Mostra-nos que não existe uma fórmula correcta de sermos pais. O que existe, sim, é a certeza de que pais mais presentes, focados no agora e não dispersos entre mil e um afazeres, têm um efeito extraordinário no desenvolvimento e crescimento dos seus filhos.

Este é um daqueles livros que se lê uma vez, de post it na mão para marcarmos os temas preferidos ou que fazem mais sentido no momento. E é um livro que não se arruma para sempre na prateleira lá de casa… É um livro a que se regressa, nos momentos bons e nos menos bons, para retomarmos o nosso rumo no caminho da parentalidade consciente. Vamos conhecer um pouco mais deste livro?

 

“Educar com mindfulness”: sete capítulos de crescimento enquanto mãe e pessoa

Quem for ler este livro à procura de uma receita tipo bolo de chocolate para educar os seus filhos… Não vai gostar da leitura deste livro. Ao longo dos sete capítulos, Mia parte da explicação do que significa a parentalidade consciente e depois fala-nos de mindfulness e de meditação mindfulness, autoestima, necessidades dos nossos filhos, comunicação e os desafios que podemos encontrar. Um aspecto bastante positivo (e que costuma ser um ponto que gosto sempre em livros deste tipo), Mia remete-nos para algumas referências bibliográficas em que se baseou para escrever o seu livro e que funcionam como seus guias na parentalidade. Desta forma, conseguimos aprofundar um pouco mais as nossas leituras, se assim o desejarmos, sem termos de ficar presos a uma única fonte.

Outro aspecto muito positivo e que nos prende é a linguagem que a Mia usa na sua escrita. Focada em dar-nos as ferramentas de que necessitamos para irmos mais longe na forma como nos relacionamos com os nossos filhos e com os outros, a Mia escreve quase como se estivesse a ter uma conversa connosco. Uma linguagem próxima, assertiva e com as palavras certas para os momentos certos prende-nos a este livro, do início ao fim. O final de cada capítulo tem um breve resumo do que foi falado e ajuda-nos a fazer alguma introspecção na nossa caminhada de educar com mindfulness. Para quem procura um livro sobre meditação mindfulness, este poderá não ser o livro que procuram. Mas se pretendem um guia que vos desperte para aspectos chave, este é o livro certo para vocês!

Neste livro, conhecemos os valores essenciais da parentalidade consistente: igual valor, respeito pela integridade, autenticidade e responsabilidade pessoal. Apesar de descritos para a relação entre pais/educadores e filhos, estes valores não se encerram nestas relações e devemos levá-los para as relações com todas as pessoas que nos rodeiam. Um outro pilar fundamental deste livro é o amor incondicional. Mia diz-nos que nem sempre é fácil demonstrar esse amor… Existem “momentos desafiantes porque são alturas em que é extremamente difícil mostrar o amor incondicional, ser paciente e respeitador. Mas a verdade é que também são um grande convite para o melhor tipo de influência que temos para oferecer. É quando podemos realmente ajudar o nosso filho a ser a pessoa empática, respeitadora e honesta que gostávamos que fosse” (p. 42).

 

“Educar com mindfulness”: a minha visão sobre o livro

Ler livros sobre parentalidade ajuda-nos a definir o rumo que queremos seguir. Quer dizer… Quando nos tornamos pais, ganhamos a consciência de como queremos ser mas existem momentos em que um afinar de caminho pode fazer sentido. Como em tudo na vida, acho que ler nos torna pessoas mais ricas em diversos aspectos. E este “Educar com mindfulness” é mais um livro que nos permite enriquecer a alma e capacitar-nos com ferramentas e estratégias que podem melhor, e muito, o nosso dia-a-dia. Afinal… Se a leitura de um livro não tiver qualquer efeito sobre nós… Se calhar não valeria a pena tê-lo lido, não é?

Desde que fui mãe, e pelas diferentes leituras que tenho vindo a fazer, sei que o meu caminho é na promoção da autonomia e no respeito pelas necessidades do meu filho. Não é por ele ter apenas dois anos e meio que não devo olhar para aquilo que a sua linguagem verbal e não-verbal têm para me dizer. Devo estar presente. Devo ter a capacidade de desligar o telemóvel e deixá-lo longe de nós para estar verdadeiramente com o meu filho e não em modo zombie. E isto de respeitar necessidades, ouvir, ver com com coração e amar incondicionalmente aplica-se a todas as relações. Basta-nos adaptar ao tipo de relação que temos com a pessoa e conseguiremos, sem dúvida, levar essa relação mais longe.

Acima de tudo, o livro “Educar com mindfulness” mostrou-me que é normal os dias não correrem bem. É normal as crianças serem desafiantes e ainda bem que o são. É normal não rirmos à gargalhada todos os dias… O que não é normal é não haver respeito pelas necessidades, não se comunicar e viver numa casa como se fossemos estranhos. Não é normal querermos educar os nossos filhos sobre a pressão de uma sociedade que quer doutores e engenheiros sem ver que existem tantos outros caminhos tão válidos como essas profissões. Acima de tudo… Este livro da Mia fez-me reflectir e pensar que afinal vale a pena fugir um pouco à imagem tradicional da parentalidade e respeitarmos os pequenos seres que crescem connosco todos os dias e que tantos nos ensinam nos seus pequenos gestos!

 

Para ler mais palavras da Mia

Heartfulness – Enfrente a vida de coração aberto, livro em que é apresentado o seu método pessoal Miafulness

 

Para quem me acompanha no Instagram das Leituras descomplicadas, já se deve ter dado conta que estou a participar em alguns desafios de leitura. Para além do meu desafio de leitura de ler 16 livros em 2019 (que podem acompanhar no meu perfil do Goodreads), estou também a participar no desafio de leitura da Rita da Nova, chamado #UmaDuziadeLivros. Em cada mês, a Rita desafia-nos nas nossas leituras e escolheu, para o mês de Janeiro, a lermos um livro escrito por uma mulher. Para este desafio e para este mês, escolhi este livro da Mia, “Educar com mindulfulness”. Espero que gostem da minha sugestão de leitura!

 

Sigam a Mom descomplicada no Facebook e no Instagram da Mom descomplicada e no Instagram das Leituras descomplicadas!
 Juntem-se ao grupo do Facebook “Leituras descomplicadas – Livros para miúdos e graúdos”!
Siga a Mom descomplicada
20

3 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *