Pensamentos

Redes sociais: onde os robots são sempre alegres!

Gosto ainda mais das redes presenciais, as que se estabelecem entre pessoas de verdade. As que se carregam da energia de uma gargalhada ou de uma boa conversa de frente para o melhor sunset do mundo… Das que crescem com sabor a chocolate quente numa tarde de inverno. Das que nos aquecem verdadeiramente o coração e que dão sentido à vida!

Na realidade dos dias de hoje, é impossível não estar nas redes sociais. Quer dizer… Possível é, claro, que ninguém nos aponta uma arma à cabeça para termos conta no Facebook ou Instagram… Mas, se olharmos à nossa volta, poucas são as pessoas que não observam atentamente o feed do Facebook ou Instagram… Muitas vezes sem se darem verdadeiramente conta do que se passa à sua volta…

Os dias de hoje são feito de influenciadores, a maior parte deles digitais. Longe vão os tempos em que os nossos influenciadores vinham do mundo da televisão ou do cinema… Hoje eles saem do écran do nosso telemóvel ou tablet e mexem com o nosso subconsciente… Fotos cuidadas e comunicação que toca nos pontos chave fazem-nos comprar um livro novo ou ir ao restaurante da moda. O ser humano é mesmo assim! Num artigo do Linkedin que li recentemente, diz-se que as redes sociais são as ferramentas da sociabilidade contemporânea (Ficaram curiosos? Leiam o artigo completo neste link). Sobre elas, escreve Hélio Mendes:

As redes sociais (…) extrapolam a concepção de cada um de nós. As práticas de sociabilidade superam as concepções antropológicas com a subjetividade e identidade nas redes.

Mas não pensaremos, muitos de nós, que quem escreve um blog, tem uma conta no Facebook ou no Instagram tem sempre de ser sorridente?

“Estou como sou” numa rede social

Para quem assiste ao Alta Definição da SIC, esta expressão não será desconhecida. Ao ouvir esta expressão num dos últimos programas não pude deixar de pensar… Quantos de nós estamos, como somos, nas redes sociais?

Para quem gosta de escrever, muitas vezes o caminho passa por ter um blog onde partilhamos os nossos pensamentos… Nos dias de hoje, numa realidade de influenciadores, já não se começa um blog apenas porque sim. Provavelmente, as pessoas de hoje criam um blog para serem conhecidas. Muitas, começam por ler diferentes artigos como “Torne-se um guru ou blogger com estes (novos) livros”, “Ter um blog: 3 factores-chave a considerar”. Nada contra… Acho muito bem até porque, para se saber estar em redes sociais, há que ler e perceber como esta realidade funciona (podem ler mais posts sobre o tema na plataforma Influenciadores da Sapo.

No entanto, fico a pensar… Tudo isto é muito bonito mas… Quantos estamos, nas redes sociais, como somos? Já tenho encontrado diversas pessoas muito especiais nas redes sociais… Existem pessoas que transpiram simpatia e pelas quais criamos empatia quase de imediato. Claro que isso não se consegue apenas por ver o feed todos os dias… Passa por se trocar mensagens, falar com essas pessoas… Criar uma ligação mais continuada e quantas amizades não começam assim? Eu tento ser o máximo genuína, sou como sou, seja nas redes sociais ou fora delas. Evito, claro, expor ao máximo da minha privacidade e não divulgar aspectos da minha vida privada… E, apesar de ter um blog, uma página de Facebook ou conta de Instagram pública, existem aspectos que sempre me pertencerão…

Agora passo a bola para esse lado… Como olham as redes sociais? Mostram-se como são… Ou permanecem sempre sorridentes e alegres, como se nada fosse?

 

Siga a Mom descomplicada
20

5 Comments

  • Cristina

    O que mostro é o que faço, onde vou, mas sem partilhar a minha privacidade, isso não consigo. Nem espero que me leiam para saber pormenores que não interessam, ou não deveriam interessar, a ninguém.

    • momdescomplicada

      Disse uma coisa interessante: o poderem ler-nos para saberem pormenores que não interessam, ou que não deveriam interessar, a ninguém. É inerente a sermos seres humanos sermos curiosos… Mas quando colocam determinadas questões, fico preocupada sobre o principal interesse em nos lerem…

  • Alexandra Cardoso

    Sou sincera… mostro muito da minha personalidade no blog mas não toda, nem é possível. Eu tenho um milhão de coisas na cabeça ao mesmo tempo. Se as colocasse a todas em prática ninguém conseguiria sequer entender-me, mas de resto sim, concordo que devemos ser nós mesmos, com qualidades e defeitos. 🙂

    Sorrisos,
    Alexandra 🙂
    http://opiniaomaldada.blogspot.com

    • momdescomplicada

      Acho que sim… Nunca mostramos tudo totalmente e até e bom: ninguém gosta de conhecer o nosso lado negro da lua, não é verdade? 😉 Mas esse lado negro à parte, apenas se as pessoas sentirem que somos autênticos e que nos mostramos fiéis a nós próprios é que acabamos por ter pessoas que regressam a este nosso cantinho virtual todos os dias e isso e bom 🙂 Beijinhos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *