Parentalidade

Educadora de infância: muito mais que uma profissão!

Ser pai e mãe do século XXI é ter, na nossa vida, educadoras que cuidam dos nossos filhos. Como em tudo na vida, importa estabelecer com elas a melhor relação possível. São estas educadoras que cuidam dos nossos filhos desde que entram na escola. Em cada educadora de infância existe um colo para quando não estamos presentes. Os braços de uma educadora de infância abrem-se, todos os dias, para receberem os nossos filhos! Estas são pessoas reais, que têm os mesmos sentimentos que nós… E sobre as quais não podemos pensar que, por serem pagas, têm a obrigação de fazer tudo o que queremos…

Educadora de infância: mais do que um diploma de final de curso

Educadora de infância. Uma profissão como outra qualquer. Um diploma de final de curso que representa anos dedicados ao estudo. Uma pessoa real que tem, em cada dia, muitas crianças para cuidar. Tenho um grande admiração por estas pessoas que possuem esta capacidade… Se nós, apenas com um ou dois filhos, caímos muitas vezes no desespero quando começam a chorar… Imaginem o que é ter dez crianças à nossa volta, cada uma a puxar para seu lado?!

Quando vou buscar o meu filho olho, muitas vezes com admiração, para as educadoras e auxiliares da sala dele. Admiro o terem sempre uma voz calma e transmitirem sempre serenidade quando o vou buscar. Admiro-as por conseguirem mostrar calma mesmo quando está instalada uma verdadeira batalha! Admiro a sua paciência, a sua entrega e, principalmente, por darem tanto carinho a todas as crianças.

Esta semana lancei, na página do Facebook, a seguinte questão:

Esta semana, por causa do calor, falava com a educadora do meu filho sobre poder trocar os collants que leva vestidos de manhã por meias para ficar mais fresco. Ela respondeu-me que não o fazem porque existem pais que não gostam e ficam chateados… Disse-lhe que, por mim, tem luz verde para a troca. O que vocês gostam e o que não gostam que as educadoras dos vossos filhos fazem?

Lancei esta questão também em alguns grupos de mães e verifiquei aquilo que já pensava… Ao ler comentários de mães que são, também, educadoras pude verificar que nem sempre se olham estas como pessoas reais que estão do lado de lado lá…

Educadora de infância: um ordenado não paga a indiferença

Ler alguns dos comentários que recebi na minha partilha de um momento tão simples da escola mostrou-me uma coisa… Existem pais, para os quais, um ordenado justifica tudo. Tem de justificar! Óbvio que se trata de uma profissão da qual não esperamos falhas! É a estas pessoas que entregamos os nossos bebés e esperamos delas uma conduta irrepreensível! Quantas de nós não tem medo de deixar os filhos com alguém que lhes possa bater? Que os possa tratar mal ou deixar a chorar durante horas e horas?

Eu tive sorte com a escola do meu filho… Eu sei que sim… Sei que a escola do nosso coração é um pequeno cantinho do céu e sou muito grata por isso! (Querem saber porque chamo à escola do meu filho “escola do nossos coração”? Leiam este post e perceberão!) Tenho uma educadora que dava tudo para ter uma floresta junto à escola e isso diz muito sobre ela. Imagino que, por esse país fora, haverá muitas educadoras que gostariam do mesmo… Mas nem sempre as condições de trabalho são as melhores… E, muitas vezes, esquecemo-nos que estão pessoas do lado de lá quando impomos as nossas exigências…

Uma educadora de infância, que coloca um pouco de si em todas as acções do dia, não merece a nossa indiferença. Esta pessoa merece a nossa palavra de conforto no final de um dia mais cheio. Merece o nosso “bom dia” com um sorriso no rosto.  Merece pequenos mimos que serão sempre pouco para expressar o nosso agradecimento por cuidarem dos nossos filhos. Lembrem-se que um ordenado não é tudo… Não pode ser tudo… Uma educadora de infância não é um robot de mudar fraldas e dar papas… É uma pessoa tal como nós… Não nos devemos nunca esquecer disso!

Educadora de infância e pais: uma dupla pelos nossos filhos

Já assisti uma vez a um episódio que me chocou um pouco… Ver uma mãe falar de forma prepotente com uma educadora que faz o seu melhor todos os dias… Chocou-me um pouco… Exigir que alguém limpe as mãos de uma criança sempre que ela toca no chão… Não estaremos nós a exagerar? Se calhar, sou demasiado descomplicada com este tipo de situações… Mas faz-me confusão fazerem-se exigências que nem sempre são fáceis de concretizar. Pode e deve exigir-se que uma criança não nos chegue com a fralda suja, meio despido ou por alimentar. Pode e deve exigir-se que uma criança não seja colocada de castigo ou seja impedida de estar no recreio.

Mas não se pode ou deve exigir que não se deixe uma criança tocar no chão no recreio. Não se pode ou deve exigir ter uma educadora permanentemente dedicada ao nosso filho… Isso é ter uma ama particular, certo? Quando olharem as educadoras dos vossos filhos, pensem no ser humano que está do lado de lado… Pensem na pessoa real que dá colo aos vossos filhos todos os dias. Chamem à atenção quando precisarem… Mas sem nunca esquecer que um ser humano tem sentimentos e que não é nosso criado…

 

Já tinham pensado nas educadoras dos vossos filhos desta forma?

Siga a Mom descomplicada
20

7 Comments

    • momdescomplicada

      Obrigada. Sónia! Foi um texto escrito do fundo do coração! Concordo plenamente: as auxiliares são igualmente importantes para os nossos filhotes. Tenho um especial carinho pelas duas auxiliares da área do berçário da escola do meu filhote e que sempre o receberam tão bem, desde os oito meses quando tive de ir trabalhar. O olhar e a forma carinhosa como o tratam sempre deixam o meu coração mais tranquilo todos os dias. E o que me deixa ainda mais tranquila é ver o carinho que o meu filhote tem por elas: sinal que se sente bem com elas e que há amor. 🙂 Beijinhos

  • Maria Inês Climaci

    Em primeiro lugar uma educadora não é uma pessoa que CUIDA. A função de uma educadora é promover o desenvolvimento global e harmonioso das crianças. Não é uma auxiliar de educação cuja função é cuidar… Mudar fraldas, dar de comer, lavar mãos, trocar colkants, etc. Depois uma educadora não tem 10 crianças, mas chega mesmo a ter 30. Ser educadora não é uma profissão igual às outras… É muito mais do que uma profissão. É uma vocação! Sou educadora e só sou Feliz quando estou no jardim de infância com 30 crianças à minha volta. 😃

    • momdescomplicada

      Inês, vou ter de discordar um pouco do seu comentário… Acho que dizer que uma educadora não cuida, por ser responsável por promover o desenvolvimento da criança,, e dizer que isso é tarefa apenas das auxiliares (que trocam fraldas, dão de comer, trocam roupa…), é demasiado redutor do papel de cada uma destas figuras. Não podemos olhar para educadoras e auxiliares como meras cumpridoras de um descritivo de funções das suas profissões… Eu acho que se deve ir muito para além disso! Compreendo que seja educadora e que seja assim que vê o seu dia-a-dia mas eu acho que uma educadora cuida e muito! Cuidar, para mim, não se restringe às funções de higiene e alimentação… Cuidar é dar colo quando a criança não está bem. Cuidar é adormecer a criança no colo quando está mais difícil. Cuidar é dar mais mimo à criança quando um dos progenitores não está presente por motivos de trabalho e a criança está mais triste… Cuidar é passar-lhe a segurança e a rotina que é necessária para crescer. É dar-lhe amor. Isso é cuidar, para mim! Na escola do meu filho, não existe uma separação assim tão clara entre o papel das educadoras e auxiliares. Já vi as educadoras da sala do meu filho (que são duas para 25 meninos) a trocarem roupa, a darem de comer ou a trocar uma fralda! E já vi auxiliares a desenvolverem com eles actividades muito interessantes, contribuindo para que cresçam de forma harmoniosa. Acho que educadoras e auxiliares cuidam ambas e contribuem ambas para o desenvolvimento… E é isso que cria um óptimo ambiente numa sala dos pequeninos piratas como o meu filhote 🙂

      Ainda bem que vê ser educadora como uma vocação. Isso é o mais importante e conseguirá, todos os dias, fazer aquilo que é visto por muitos como apenas mais um trabalho com a dedicação necessária às crianças e que elas merecem! Beijinhos

  • Vera

    Muito obrigado…é bom sentir que do outro lado há quem nos valorize e nos olhe com gratidão…somos pessoas reais com uma responsabilidade imensa, com um coração grande para amar e para chorar quando terminam a sua caminhada connosco. E como custa vê -los partir! São dias de pura energia, que contagia, que desgasta, que preenche e que nos dá esperança! Esperança que neles vá um pouco de nós, porque deles fica tanto em nós…ganhamos um ordenado é certo, mas ganhamos tanto mais em ternura, em afeto, em conquistas alcançadas, em laços que perduram e que fazem de nós seres melhores…um bem haja para si e parabéns pela sua publicação.

    • Mom descomplicada

      Adorei esta sua frase, Vera: “somos pessoas reais com uma responsabilidade imensa, com um coração grande para amar e para chorar quando terminam a sua caminhada connosco”. É exactamente isto que penso quando penso numa educadora ou numa auxiliar num berçário ou creche. A vossa responsabilidade é imensa por cuidarem de crianças de tão tenra idade quando nós, pais, temos de ir trabalhar. Também não nos podemos esquecer que vocês também são mães e que, para cuidarem dos nossos filhos, deixam os vossos também na escola ao cuidado de outras mães… É um ciclo sem fim com o único objectivo de cuidar das crianças enquanto os pais têm de trabalhar. São pessoas reais, com as vossa fraquezas e dias menos bons, e que não são mero robots que fazem tudo o que nós queremos enquanto mães e pais galinhas. Agradeço o trabalho que faz todos os dias e por dar um bocadinho de si, todos os dias, às crianças que tem à sua responsabilidade. Beijinhos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *