Escolhas da mãe

Alimentação infantil: Opções para a hora do lanche

Alimentação infantil. Este deve ser, provavelmente, um dos temas mais pesquisados quando somos mães e aquele que deve gerar maior controvérsia quanto às opções de cada família. Juntamente com a amamentação, as opções que fazemos quanto à alimentação infantil dos nossos pequenos levam a alguns momentos de puro veneno quando o assunto é abordado com outras mães. E isso não é de todo o que precisamos quando estamos carregadas de dúvidas e parece que o pediatra ou outro médico que acompanha o nosso filho não nos soluciona todas as nossas dúvidas quanto à diversificação alimentar. Sermos mães é quase navegarmos num mar mais ou menos solitário, em que os icebergs das opiniões das outras mães surgem contra nós, quase como um episódio à Titanic e em que, muitas vezes, desmotivamos e duvidamos em demasia das nossas próprias decisões, da nossa intuição que nos diz que aquele é o caminho certo para o nosso filho…
Falar de alimentação infantil é falar de opções que não terão apenas efeito no imediato mas que resultarão igualmente em efeitos no futuro, quanto mais não seja quanto à variedade de sabores a que a criança estará habituada e à maior ou menor predisposição para experimentar sabores novos. Segundo a Plataforma de Contra a Obesidade da Direcção-Geral de Saúde, a alimentação infantil deve incluir variedade de opções, apostando na ingestão de legumes, frutas, peixe e carne (no caso do peixe, optar pela ingestão de peixes gordos duas vezes por semana), sendo que as necessidades das crianças entre um e dois anos de idade são entre quatro e cinco refeições diárias, conforme podemos ler no artigo Alimentação Infantil publicado por esta plataforma. Na diversificação da alimentação infantil, importa também variar nas cores dos alimentos que oferecemos à criança, garantindo a aposta no arco íris para a disponibilização da maior oferta de nutrientes.
Uma das refeições que mais dúvidas traz, principalmente para mães que trabalham fora de casa e têm pouco tempo para fazer opções saudáveis em versão homemade todos os dias, é o lanche a levar para a escola. Nos dias de hoje, a internet tem uma imensidão de blogs que se dedicam ao tema da alimentação infantil. Por exemplo, podem encontrar sugestões interessantes de lanches saudáveis nos blogs Healthy Bites, Na cadeira da papa, As Papinhas da Xica ou A Pitada do Pai. Estes são os blogs que mais sigo sobre alimentação infantil e alimentação saudável para toda a família. Outra opção cá em casa quando a inspiração falta é o livro “Comer bem, crescer saudável”, da Joana Appleton Figueira e Joana Moura, onde vou buscar diversas receitas (e adapto algumas).
Um dos lanches preferidos do meu filhote, e que costumo enviar várias vezes para a escola, é iogurte com cereais. O meu filhote nunca foi muito fã de papas e papinhas por isso, depois de falar com o pediatra, a introdução de cereais acabou por ser uma opção para os lanches. E aí começou a grande aventura… A maior parte dos cereais à venda para crianças tem elevada quantidade de açúcar… É claro que assim não existe criança que resista aos cereais açucarados, não é verdade? Depois de procurar bastante, acabei por descobrir os cereais puff, também chamados de cereais tufados ou cereais expandidos. Conforme pode ler-se no artigo Cereais Puff – Na despensa #07 do blog Na Cadeira da Papa, este produto não é mais do que “cereais que são submetidos a temperatura e expandem, num processo idêntico ao das pipocas de milho, mas sem qualquer aditivo (gordura e afins)“, havendo uma oferta enorme de cereais puff, já que todos os cereais podem ser submetidos a este processo. Depois de ler atentamente o rótulo de várias embalagens de cereais puff, verifiquei que se trata de um produto sem aditivos e sem açúcares adicionados, sendo uma boa opção para oferecermos cereais na alimentação infantil sem termos peso na consciência.

E agora querem vocês saber onde podem encontrar este produto à venda, não é verdade? Podem encontrar este produto à venda nas áreas de produtos biológicos de diversos supermercados e também no Celeiro. No Continente, na sua área Bio e Saudável, podem encontrar um mix de cereais puff e millet puff da marca Seara. Mas os favoritos aqui de casa são os cereais puff da marca Rude Health. Eu sou fã das granolas desta marca e, quando descobri que também tinham cereais puff, acabou por ser uma boa opção para a alimentação infantil cá de casa. Existem duas opções: a espelta tufada com mel, a aveia tufada com mel e o arroz tufado com mel sem glúten. Nos lanches diários para a escola, tento variar no cereal que ofereço, fazendo um esforço por não enviar o mesmo cereal em dois dias seguidos. Apesar do sabor neutro que os cereais puff têm, assim consigo oferecer mais variedade na hora do lanche e garantir uma alimentação o mais variada possível e saudável para o meu filhote.

E vocês? Quais as vossas opções de lanches para os mais pequenos? E quais as maiores dificuldades que encontram nas escolhas na alimentação infantil?

Siga a Mom descomplicada
20

One Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *