Escolhas da mãe

Brinquedos… Que brinquedos?

Brinquedos… Esse mundo imenso e colorido em que podemos perder o rumo, qualquer que seja a idade da criança…
Acho que raro deve ser o pai ou a mãe que não se perde quando entra numa loja de brinquedos. As ofertas são mais do que variadas, coloridas, musicais e atractivas e acaba sempre por ser uma tarefa mais ou menos complicada escolher qual o brinquedo a levar para casa. Ou somos realmente muito focados e entramos na loja com um objectivo muito bem definido ou facilmente nos afastamos do que íamos buscar e acabamos por levar para a caixa para pagar um qualquer outro brinquedo. Nos dias de hoje, as opções são mais do que variadas e temos à nossa disposição diferentes tipos de brinquedos, em diferentes tipos de materiais, para oferecermos aos nossos filhos e ajudarmos no seu desenvolvimento.
Olhando para as prateleiras, a maior oferta é de brinquedos de plástico, muito coloridos, mas que acabam por perder uma parte muito importante: a de serem feitos por materiais de diferentes texturas que estimulem sensorialmente aos mãos do mais pequenos. E depois, escondidos quase no submundo das lojas de brinquedos, surgem os brinquedos de madeira, quais renegados do mundo da diversão. Mas olhando bem para estes objectos, com aspecto mais artesanal, temos diante de nós uma melhor alternativa para as nossas crianças. Habitualmente, os brinquedos de madeira acabam por ser associados a brinquedos mais educativos, com finalidades específicas de desenvolvimento infantil, pois habitualmente são concebidos focando-se no desenvolvimento cognitivo dos mais pequenos, estimulando a sua aprendizagem e permitindo-lhe escolher qual o rumo que pretende para a sua brincadeira. Acabamos por proporcionar as nossas crianças que sejam mais livres para brincar, para imaginar e para construir a sua realidade.
Atenção que não quero com isto dizer que os brinquedos de plástico que existem à disposição não permitem o desenvolvimento dos mais pequenos. O que quero antes dizer é que, da forma como são concebidos, os brinquedos de madeira permitem proporcionar um estímulo diferente, menos direcionado, que faz com que a criança aprenda ao seu ritmo.
Aqui por casa damos preferência aos brinquedos de madeira, talvez porque nós pais, quando eramos crianças, também gostássemos mais destes brinquedos. Esta semana descobri uma marca de brinquedos de madeira, a Plan Toys, que constrói os seus brinquedos de forma sustentável e utilizando materiais não tóxicos para as crianças. Possuem uma oferta alargada que podem encontrar, por exemplo, à venda na Origami Kids ou no El Corte Ingles. Por aqui, escolhemos trazer para casa o xilofone, feito de madeira da árvore da borracha e de tintas à base de água, recomendado a partir dos 12 meses, muito porque o baby boy é muito receptivo a tudo o que são estímulos musicais. Outra particularidade que gostei nesta marca foram os alfabetos, também em madeira, adequados a partir dos dois anos. E o que é que estes alfabetos possuem de diferente? Para além de letras, possuem também o alfabeto em braille e em linguagem gestual. Muito interessante, não acham? Aqui ficam algumas fotos destes alfabetos que poderão ser uma boa opção para brincadeiras e desenvolvimento da linguagem depois dos dois anos.

E a vossa opinião como pais? O que acham dos brinquedos de madeira?

Siga a Mom descomplicada
20

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *